Carroças: a crueldade que deixou de existir em Maringá

Hoje ninguém dá bola, mas vale lembrar que Maringá tinha 652 carroças emplacadas no trânsito, isso mesmo, 652.

Na aprovação do projeto recebemos diversas críticas e inclusive ameaças de morte conta o vereador Flávio Mantovani: “Aprovamos a proibição do tráfego na área urbana dos veículos de tração animal, (carroças)”.

A medida, além de coibir os maus-tratos aos animais, teve caráter social pois as pessoas adultas foram cadastrados pela Secretaria de Assistência Social para participar de programas de capacitação e encaminhamento a empregos com carteira assinada, e as menores encaminhadas novamente para escola e as famílias assistidas.

MAUS TRATOS
Em agosto de 2017 foi aprovada a lei municipal contra os maus tratos aos animais, de lá pra cá, já foram feitos mais de 6700 atendimentos e R$ 466.000,00 em multas, só esses números já mostram os resultados da lei, mas o número que realmente importa é que diminuíram os maus tratos, pois com menos burocracia e fiscalização eficaz as denúncias são atendidas e resolvidas.

“Antes quem presenciava uma situação de maus tratos, tinha que acionar a Polícia Civil através de um boletim de ocorrência, o autor era intimado e por muitas vezes nada era feito, porque a lei federal não especificava o que era crime de maus tratos ou não”, hoje temos uma lei municipal que funciona, com multa pesada e fiscalização rápida. Maringá é vitrine para diversas cidades brasileiras e mais de 100 já implantaram a lei de maus-tratos, e buscaram aqui soluções para a proteção e bem-estar animal, relata o vereador Flávio Mantovani, criador da lei, e um dos grandes defensores  da Causa Animal em nossa cidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *